Vinícius Roccia e Wilson Tietz reiteram importância da Atividade Delegada no município

Assunto tratado no início do ano foi novamente evidenciado pelos parlamentares na última Sessão Ordinária (14)

Publicado em: 17 de novembro de 2017

Durante o uso da tribuna livre na 29ª Sessão Ordinária os vereadores Vinícius Roccia (SD) e Wilson Tietz (PPS) abordaram, entre outros assuntos, sobre a importância de implantar a Atividade Delegada no município de Charqueada. O tema já havia sido discutido no Legislativo, sendo, inclusive, motivo de indicação (nº 24/17) encaminhada à Prefeitura Municipal no início do ano, entretanto, o assunto segue aguardando um retorno do Executivo. A Atividade Delegada é um convênio firmado entre as prefeituras e a Polícia Militar do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria Estadual de Segurança Pública, que permite aos policiais militares desempenharem suas funções nos dias de folga e, dessa maneira, auxiliarem na fiscalização das cidades conveniadas.

 

“Essa situação já foi tratada nesta Casa pelo vereador Wilson, e também cobrada pelo vereador Rogerinho. Precisa mandar esse projeto para cá. Nós estamos com aquela situação que foi noticiada, dos guardas municipais, que se espalhou pela cidade, internet e tudo mais. Então nós estamos com um efetivo reduzido de guardas municipais”, ressaltou Vinícius Roccia. “Para complementar o empenho e a dedicação do capitão Bessa a Atividade Delegada vai ser de extrema importância”, afirmou. “Precisamos da boa vontade do Executivo para pegar o Projeto de Lei e encaminhar para nós. E com certeza, sendo de extrema relevância e urgência, nós podemos apreciar em extraordinária”, acrescentou.

 

O presidente da Câmara Municipal, Wilson Tietz, enfatizou que uma de suas primeiras indicações apresentadas na Casa foi sobre a Atividade Delegada. “Inclusive, eu participei de uma reunião com a Coronel Adriana, vereadora em Piracicaba, o Rogerinho estava junto, e já falávamos dessa questão”, disse.

 

“(Para a implantação da Atividade Delegada) faz a lei, faz o convênio e usa mediante recurso. Não é um projeto que após ser feito você é obrigado a trazer tantos guardas, tantos policiais; não, o município faz solicitação mediante sua receita”, explicou Tietz. “Numa emergência você aciona, não é algo automático. Vem viatura do Estado, armamento do Estado, combustível do Estado, profissionais treinados pelo Estado, qualquer fatalidade eles também estão cobertos pela assistência do Estado, então o município só tem que pagar as horas que eles estão trabalhando, e isso se dá mediante solicitação”, pontuou.

 

“Eu vou falar com a Valkíria (secretária de governo) e o Romeu (prefeito) para que seja enviado esse projeto urgente para esta Casa e assim que chegar fazemos as sessões necessárias, dentro do trâmite que a lei permite, porque é um assunto que não tem o porquê ficar parado”, concluiu.


Publicado por: Alinne Schmidt

Cadastre-se e receba notícias em seu email