Em Analândia, Vinícius Roccia participa do 8º Fórum em Defesa do Rio Corumbataí

Encontro reuniu autoridades dos municípios que compõem a ação para discutirem sobre preservação e recuperação ambiental, em especial, no que compete à Bacia do Corumbataí

Publicado em: 08 de março de 2018

Representando Charqueada, o vereador Vinícius Roccia (SD) participou de mais um encontro promovido pelo Fórum Regional Permanente em Defesa do Rio Corumbataí, o oitavo, que aconteceu ontem (27), na cidade de Analândia (SP). Participaram também da ocasião autoridades dos demais municípios que integram o Fórum – Analândia, Corumbataí, Itirapina, Ipeúna, Piracicaba, Rio Claro e Santa Gertrudes - além de ambientalistas e ONGs engajadas na causa.

 

O encontro, que tem como objetivo unir forças das oito cidades pelas quais passa o Rio Corumbataí - a fim de preservá-lo, discutir ações e garantir sua capacidade de abastecimento para o futuro - foi realizado dessa vez no camping Pedra Viva, tendo como cenário o Morro do Cuscuzeiro, um dos principais atrativos turísticos da cidade que leva o título de Estância Climática.

 

O Fórum Permanente em Defesa do Rio Corumbataí foi idealizado pelo vereador de Piracicaba, José Aparecido Longatto (PSDB) e concretiza mais de 20 anos de trabalhos.

 

Há mais de 650 mil cidadãos dependentes das águas dos mananciais em questão, além de animais, da vegetação e da agricultura, atividade esta que é vocação em todos esses municípios.

 

Temáticas ressaltadas

Durante o encontro, o promotor de justiça do Gaema (Grupo de Atuação Especial de Defesa do Meio Ambiente), Ivan Carneiro Castanheiro, destacou que “o desenvolvimento econômico e sustentável que tanto se fala e pouco se pratica tem que ser construído em Fóruns como este, reivindicando, cobrando, com a presença das autoridades locais”.

 

Castanheiro também aproveitou a oportunidade para abordar uma situação envolvendo a cidade de Rio Claro (SP) – polo cerâmico - que serviu de ponto de partida para que todos os municípios abastecidos pelo Rio Corumbataí recebam, agora, uma recomendação do Ministério Público para alterarem a legislação ambiental que corresponde ao uso e ocupação do solo, com o propósito de melhor disciplinar e uniformizar essa questão. “A prefeitura de Rio Claro recentemente divulgou um levantamento em que 1.200 cavas de mineração (para extração de argila e areia) não foram recuperadas, então temos aí um grande passivo ambiental a ser resolvido que a gente não quer que se repita em outros municípios da região”, disse. O promotor se referiu também às pequenas mineradoras, que não são licenciadas pela Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo), o que acarreta em um “vácuo” (na legislação). “A gente até questiona que deveria haver um EIA (Estudo de Impacto Ambiental) mesmo para as pequenas mineradoras, mas existe aí uma decisão da diretoria da Cetesb desde 2014, que pequenas extrações de cavas não precisam de licenciamento ambiental, e a ideia é que a gente supra isso via município”, complementou.

 

Castanheiro ainda enfatizou aos representantes dos municípios que compõem o Fórum sobre a criação de CRAS (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres). “A ideia é a recuperação de animais atropelados, queimados, feridos. No Estado inteiro nós temos apenas um em Jundiaí e um no Vale do Paraíba”, relatou. “Então estamos trabalhando para que se instale uma política na região para integrarmos pelo menos três CRAS”, acrescentou. A ideia também é que as concessionárias de rodovias façam passagens, isolamentos, para evitar o atropelamento de animais no trânsito. Rio Claro, Santa Bárbara D’Oeste e Campinas, paralelamente a Jundiaí, já estão adiantadas nesse quesito.

 

O vereador Longatto, por sua vez, agradeceu a participação do promotor, e dos demais presentes, e ressaltou a Castanheiro que, “como guardião da lei é a pessoa indicada para falar dos problemas que levantamos, e sem a sua presença este Fórum jamais iria conseguir o êxito que está conseguindo. Estendemos isso ao Gaema, que é o orgulho da cidade de Piracicaba e região”.

 

O parlamentar também salientou sobre o projeto Conservador das Águas, que levou 15 anos para ser implantado em Piracicaba. “O trabalho do Conservador das Águas é o que vocês estão tentando fazer aqui, em Analândia, com o projeto Nascentes. Sem as nascentes não vai existir água, sem as árvores não vão existir as nascentes. Isso é tão certo como dois e dois são quatro. E nós estamos aqui hoje para falar sobre tudo isso, tratar do nosso meio ambiente”, pontuou.

 

Projeto Nascentes Analândia

O 8º Fórum do Corumbataí também foi marcado pela apresentação do Projeto Nascentes Analândia, que foi realizada pelo vereador do município, Leandro Eduardo Santarpio (PV), anfitrião do encontro. A ação tem como objetivo a recuperação, conservação e proteção da área que envolve a microbacia do Córrego Cavalheiro e seu entorno, totalizando 15 propriedades e 1.650 hectares.

 

O projeto é uma iniciativa dos Comitês PCJ e Agência das Bacias PCJ em parceria com a Prefeitura Municipal de Analândia, Casa de Agricultura, Secretarias Municipais de Meio Ambiente e de Saúde, CATI (Coordenadoria de Assistência Técnica Integral), Instituto de Proteção Sócio Ambiental da Bacia Hidrográfica do Rio Corumbataí (IPSA) e Sindicato Rural de Rio Claro.


Publicado por: Alinne Schmidt

Cadastre-se e receba notícias em seu email