Projeto Mananciais Charqueada/São Pedro é lançado oficialmente

Evento aconteceu no sábado (26); iniciativa tem como propósito recuperar, preservar e proteger nascentes e os córregos Água Branca e Boa Vista, que abrangem os municípios em questão

Publicado em: 29 de maio de 2018

Recuperar, conservar e garantir abastecimento hídrico para os municípios envolvidos, por meio de ações que visam boas práticas agropecuárias e regularização ambiental. Pautado nessas premissas o Projeto Mananciais Charqueada/São Pedro foi lançado oficialmente neste sábado (26), no sítio Boa Vista, situado no município charqueadense.

 

Durante a ocasião, marcada pelo plantio simbólico de mudas de árvores nativas, houve a assinatura da ordem de serviço para a realização dos projetos executivos para readequação ambiental de 31 propriedades rurais em Charqueada e São Pedro, totalizando uma área de 4,5 mil hectares. O investimento inicial é de R$ 375 mil, financiados pela Agência das Bacias PCJ, com recursos provenientes da Cobrança PCJ Federal (cobrança pelo uso da água em rios de domínio da União).

 

A programação do evento teve início na Casa da Agricultura de Charqueada; participaram da ocasião o vereador Rogério Batista (PPS) – Professor Rogerinho, que desde 2009 está intermediando a iniciativa, o vereador Vinícius Roccia (SD), o prefeito de Charqueada Romeu Verdi (PSDB), a secretária de Governo Valkiria Callovi, a secretária da Saúde Waldirene Cassarotti, o secretário de Obras Adilson Cantarini, o diretor da CATI (Coordenadoria de Assistência Técnica Integral) Regional Piracicaba Sérgio Diehl - representando o secretário estadual da Agricultura Francisco Jardim, o diretor e presidente da Agência das Bacias PCJ Sérgio Razera, o membro do Sindicato Rural de Rio Claro e da Câmara Técnica do Uso da Água no Meio Rural João Baraldi, o presidente do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural de Charqueada Ademir Assarisse, a chefe da Casa da Agricultura de Charqueada Melissa Sampaio, o engenheiro agrônomo Dênis Herisson da Silva, da CATI de Piracicaba, a analista técnica da Agência PCJ Marina Peres Barbosa, o geógrafo Marcelo de Almeida Santos, membro da UGP (Unidade de Gestão do Projeto Mananciais Charqueada/São Pedro) pela Esalq (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz), padre Cláudio César de Carvalho, demais autoridades locais, representantes de parceiros da iniciativa e produtores rurais que integram o projeto.

 

Por dentro do projeto

O Mananciais Charqueada/São Pedro trata-se de uma ação que visa à melhoria da quantidade e da qualidade de água proveniente das microbacias dos ribeirões Água Branca - pertencente ao município de São Pedro, e Boa Vista, de Charqueada, que hoje se encontra poluído e com pouca água.

 

A microbacia Água Branca é responsável pela formação de seu córrego, que é importante manancial de abastecimento de Charqueada. As Bacias Boa Vista e Água Branca juntas contribuem para o Ribeirão Araquá, que apresenta potencial para abastecer não só os municípios de Charqueada e São Pedro como também o de Águas de São Pedro. E é no meio rural que se encontra a água pura, e assim todos os usuários podem e devem ajudar a conservá-la.

 

Por isso a importância desta empreitada, que cria diversas ações de boas práticas agropecuárias e de regularização ambiental, mediante elaboração de um projeto para cada propriedade que faz parte das bacias em questão.

 

O Mananciais Charqueada/São Pedro é uma iniciativa da Casa da Agricultura de Charqueada e da CATI, órgão da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, a pedido das prefeituras municipais de Charqueada e São Pedro. Conta com a parceria dos Comitês das Bacias PCJ e também tem o envolvimento das Câmaras Municipais dos respectivos municípios, da Esalq, da Casa de Agricultura de São Pedro e da Fundação Florestal.

 

A CODASP (Companhia de Desenvolvimento Agrícola de São Paulo), contratada pela Agência das Bacias PCJ, fará o diagnóstico das propriedades contempladas pela iniciativa. “Com o projeto pronto e em mãos a gente vai conseguir buscar recursos em empresas, instituições que têm passivo ambiental para cumprir (obrigações destinadas exclusivamente a promover investimentos em benefícios ao meio ambiente), para que possamos executá-lo. Por exemplo: uma empresa constrói uma estrada e derruba árvores, logo ela precisará replantar essas árvores; nós então apresentamos o projeto e designamos a área (para o replantio), que será a dos dois córregos”, explica a chefe da Casa da Agricultura de Charqueada, Melissa Sampaio.

 

O investimento é de cerca de R$ 375 mil, financiados pela Agência das Bacias PCJ, com recursos provenientes da Cobrança PCJ Federal (cobrança pelo uso da água em rios de domínio da União). O projeto beneficiará 20 propriedades no município de Charqueada e 11 propriedades em São Pedro, totalizando uma área de aproximadamente 4,5 mil hectares.


Publicado por: Alinne Schmidt

Cadastre-se e receba notícias em seu email