Símbolos

  • BANDEIRA DO MUNICÍPIO

Plena de verde, centralizada em um losango branco equidistante dos bordos de 1,7 módulos

e carregada com o Brasão Municipal


Simbologia

A vexilologia (estudo das bandeiras) da Bandeira Municipal de Charqueada não obedece simbolicamente à tradição herdada de Portugal, posto sua, em conformidade dessa tradição, as bandeiras municipais podem ser oitavadas, sextavadas, esquadrejadas, ou terçadas, tendo por cores as mesmas constantes no campo do escudo, e ostentando ao centro ou na tralha uma figura geométrica onde o Brasão Municipal é aplicado.

A Bandeira de Charqueada não ostenta tais partições e o único elemento tradicional é o losango branco no centro, inspirado possivelmente na Bandeira Nacional, com a mesma equidistância desta; também a cor predominante (verde) não acompanha a do campo do escudo, que é azul.
 
Não obstante, o Brasão coligado na bandeira representa o governo municipal, e o losango branco, onde é contido, representa a própria cidade - sede do município. A cor branca é símbolo de paz, amizade, trabalho, prosperidade, pureza, religiosidade. O campo verde representa as propriedades rurais existentes no território municipal - a cor verde é símbolo de honra, civilidade, cortesia, alegria, abundância; é cor simbólica de esperança, e a esperança é verde porque lembra os campos verdejantes na primavera, fazendo esperar copiosa colheita.

_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

  • BRASÃO

 

Descritivo heráldico

Escudo Clássico Flamengo Ibérico encimado de uma coroa mural de oito torres, de argente e iluminada de góles. Em campo de bláu, uma aspa de argente acompanhada em chefe de uma fábrica de jalde nascente de um terrado de sinoplia; a destra de um casulo e larva de argente; a sinistra uma serra de argente nascente de um terrado de sinopla e sobreposta de um sol heráldico de lade; ao termo a efígie de um tapir de argente nascente de sinistra. Como apoios do escudo, a dextra, uma haste de cana-de-açúcar e à sinistra uma haste de cana de milho frutado, tudo ao natural, entrecruzados em ponta e sobreposto em um listel de argente, contendo em letras de góles o topônimo "CHARQUEADA".


Simbologia

O Brasão, descrito acima em termos próprios de heráldica, tem a seguinte interpretação simbólica:


a) O escudo clássico flamengo - ibérico, usado para representar o Brasão de Armas de Charqueada foi introduzido em Portugal por ocasião do aparecimento dos primeiros Brasões de Domínio, herdado pela heráldica brasileira como evocativo da raça colonizadora, a principal formadora de nossa nacionalidade. 

b) A coroa mural que o sobrepõe é o símbolo universal dos brasões de domínio que, sendo de a poente (prata), oito torres, das quais apenas cinco são visíveis em perspectiva no desenho, classifica a cidade representada na Segunda Grandeza - a iluminura de góles (vermelho), pelo significado heráldico da cor é condizente com os predicados dos pioneiros colonizadores e dos dirigentes da comunidade. 

c) A cor góles (vermelho) simboliza a dedicação, amor pátrio, audácia, intrepidez, coragem, valentia; 

d) A cor bláu (azul) do campo do escudo é símbolo de justiça, nobreza, perseverança, zelo, lealdade, recreação e formosura; 

e) A "aspa" ou saltor aplicada no campo do escudo, é a sétima das peças honrosas de primeira ordem e representa a peça do arnês que servia de estrilho para saltar sobre o cavalo; daí ser usado como símbolo da cavalaria ou como algo relacionado as lides anuestres; flanco dextro (direita do escudo) o casulo e a larva (também conhecida por "bicho da seda") representam a matéria-prima utilizada na fabricação do tecido de seda; 

f) O metal argente (prata) é símbolo de paz, amizade, trabalho, prosperidade, pureza, religiosidade; 

 
g) Em chefe (parte superior do escudo) a fábrica de jalde (ouro) nascente de um terrado de sinopla (verde), representa no brasão a indústria têxtil, com a fábrica de seda que é sua indústria básica; 

h) O metal jalde (ouro) é símbolo de glória, esplendor, grandeza, riqueza, soberania;  

i) no flanco sinistro (esquerdo escudo) a iconografia de uma serra de argente (prata) nascente de um terrado sinopla (verde), representa no Brasão a Serra de São Pedro, marco geográfico característico da região, encimada pelo sol heráldico de jalde (ouro) simbolizando o clima ameno e salutar do município;  

j) A cor sinopla (verde) é o símbolo de honra, civilidade, cortesia, alegria, abundância - é a cor simbólica da "esperança", e a esperança é verde, porque lembra os campos verdejantes na primavera, fazendo "esperar" copiosa colheita;  

k) Ao termo (parte inferior do escudo), a efígie de um tapir de argente (prata) representa no Brasão a caça abundante na região ao termo das andanças dos tropeiros, que aí acampavam, caçavam e preparavam o charque que levavam como alimento, daí resultando o topônimo que a cidade ostenta "Charqueada"; 

l) Nos ornamentos exteriores, a cana-de-açúcar e o milho  representado, apontam os principais produtos oriundos da terra dadivosa e fértil, esteios da economia municipal; 

m) No listel de argente (prata) em letras de góles (vermelho), inscreve-se o topônimo identificador de "Charqueada".